sexta-feira, 1 de abril de 2011

3 de abril

2001 - A obra editorial de John Campbell
Astounding Science Fiction

A revista de ficção científica ANALOG se tornou uma das mais admiradas do mundo a partir de um trabalho editorial iniciado por John Campbell (1910-1971) ainda na primeira metade do século 20, em 1938. Campbell foi o primeiro editor dos contos de Isaac Asimov. Aqui, a capa da edição de abril de 2001:

http://www.sfcovers.net/Magazines/ASF/ASF_0856.jpg
Uma sereia encantando marujos num planeta distante?
http://www.analogsf.com/information/what_is_asf.shtml

E aqui, a capa da edição de abril de 1931:

http://www.sfcovers.net/Magazines/ASF/ASF_0016.jpg
Os marcianos tiveram muitas formas, ao longo da história.
http://www.sfcovers.net/Magazines/ASF/tnpage02.htm


1996 - Memória gaúcha, por Carlos Adib
http://www.carlosadib.com.br/astron_fatos.html

Na edição de 3 de abril de 1996, o jornal Zero Hora traz reportagem na página 48 sobre o eclipse lunar total visível na noite anterior, informando que o evento foi observado desde o Planetário Municipal por membros da Sociedade Astronômica Rio-Grandense (SARG)

http://www.planetario.ufrgs.br/constplan.JPG
Planetário de Porto Alegre, em construção, em 1971
http://www.planetario.ufrgs.br/historia.html



1978 - Otacílio de Azevedo


http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/ceara/img/otacilio_de_azevedo1.jpg
http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/ceara/otacilio_de_azevedo.html

No dia 3 de abril de 1978 morria em Fortaleza o poeta, pintor e astrônomo amador Otacílio de Azevedo, cearense da cidade de Redenção, nascido em 11 de fevereiro de 1892. Otacílio de Azevedo foi co-fundador da Sociedade Brasileira dos Amigos da Astronomia.



1933 - Sobrevoo do Monte Everest


http://images.suite101.com/2095155_com_clydesdale.jpg
Pilotado por dois ingleses, os biplanos Westland Wallace, a hélice e motor de combustão, atingiram uma altitude de 33 mil pés, conseguindo pela primeira vez ultrapassar o pico do Monte Everest, em 3 de abril de 1933.

2 de abril


2011 - O último lançamento do Endeavour



2010 - Bom humor na Soyus TMA 18
http://www.spacepatches.nl/station/TMA18_Poster_Cs.jpg
O tradicional cartaz da tripulação, presenteado aos tripulantes da Soyus TMA 18, pelo diretor geral da Russian Federal Space Agency (Roscosmos), Anatoly Perminov, fez piada e usou o tema de uma famosa série russa de "detetives" chamada "vedut Sledstvie ZnaToKi"("Investigações manipuladas por especialistas"), tornando-se "Soyuz manipulada por especialistas ".
Os títulos menores vistos na capa do DVD foram alterados para "lançamento", "atracação" e "pouso".


A Soyus TMA 18 foi lançada do cosmódromo de Baikonur no dia 2 de abril de 2010.


2009 - I Congresso de Astronomia nos Açores

http://www.astronomia2009.org/images/eventlist/events/cartaz2.jpg
Nos 3 dias do congresso houve grande variedade de ações, entre palestras e momentos culturais em que a astronomia surgiu associada à arte, especialmente à música e à pintura.

Integrado nas "100 horas de Astronomia" do Ano Internacional da Astronomia 2009, decorreu de 2 a 4 de Abril de 2009 o I Congresso Internacional de Astronomia dos Açores, um Congresso organizado por Beatriz Cachim e Márcia Oliveira, duas professoras da Escola Secundária Domingos Rebelo, que recebeu o apoio do Governo Regional dos Açores através de diversas Direcções Regionais, da Agência Nacional Ciência Viva, da Sociedade Portuguesa de Astronomia, do Ano Internacional da Astronomia 2009, entre outros. O congresso subordinado ao tema “O Universo nos Açores”, teve como temas principais: “Brincando com o Universo”, “Olha, está aí alguém?” e “O Universo nos Açores”. (http://www.ccvalg.pt/astronomia/noticias/2009/04/6_i_congresso_astronomia_acores.htm )

http://www.ccvalg.pt/astronomia/logo.gif
http://www.ccvalg.pt/astronomia/


2009 - Filatelia

http://www.collectiblestampsgallery.com/prodimages/Space%20SP97lg.jpg
http://www.collectiblestampsgallery.com/proddetail.asp?prod=SP97

O Canadá celebrou 2009 como o Ano Internacional da Astronomia com a emissão da mint sheet com dois selos em 2 de abril de 2009. Cada selo relaciona um importante observatório do Canadá com uma nebulosa. Um selo mostra o Dominion Astrophysical Observatory (DAO) em Saanich, BC e da nebulosa Cabeça de Cavalo, o outro selo traz o Canada-France-Hawai Telescope (CFHT), localizado no topo do Mauna Kea (Havaí) e a Nebulosa da Águia.

2008 - Observatório Astronômico Domingos Fernandes da Costa


http://www.uranometrianova.pro.br/observatorios/imagens/obsdomfercosta1.jpg
http://www.uranometrianova.pro.br/observatorios/obsbrasil.htm

Observatório do Cefet-Campos ganha nome de ex-diretor do ON

Texto de Marcomede Rangel, do Observatório Nacional

O Cientista Domingos Fernandes da Costa (1882-1956), ex-diretor do Observatório Nacional, ganha homenagem no norte do estado do Rio de Janeiro. O Observatório Astronômico Domingos Fernandes da Costa, na Unidade de Pesquisa e Extensão Agro-Ambiental (Uepa) do Cefet-Campos, no Norte do Estado do Rio de Janeiro, foi inaugurado no dia 2 de abril. O observatório fica próximo à fronteira dos municípios de Campos e São João da Barra, no lado direito da estrada.

Trata-se de uma homenagem a esse importante cientista brasileiro, natural de São João da Barra, que já teve seu nome dado a escola homenageado em sua própria terra, em 11 de março de 2002 (ver JC e-mail 1993, 15/03/2002). Domingos Fernandes da Costa foi oficial da Marinha do Brasil e astrônomo do Observatório Nacional, de 1909 a 1956, tendo sido diretor da instituição em 1951.
O Observatório Astronômico Domingos Fernandes da Costa possui um telescópio Celestron, de 8 polegadas de diâmetro de espelho (um pouco mais de 20 cm), montado em equatorial (permite acompanhar o movimento do céu) e apontamento GoTo. Isso significa que, por meio de um sistema de computação, se coloca a posição do astro, como a Lua, e ele automaticamente aponta para o corpo celeste.
O Observatório, que foi instalado no terraço da Uepa, possui um abrigo próprio para o equipamento. Tem ainda uma câmera de TV, que permite observar os astros em uma tela de televisão.
Está aberto as escolas e ao público, por meio de agendamento, assim como a trabalhos de pesquisas.
Histórico
O "Comandante Costa", como era conhecido no Observatório Nacional, ingressou na instituição em 1909, na recém criada Diretoria de Meteorologia e Astronomia/ON, época que meteorologia e astronomia caminhavam juntas, quando a instituição funcionava no morro do Castelo, no centro da cidade do Rio de Janeiro.
Depois de 1920 a diretoria passou a novamente ser denominada Observatório Nacional, ganhando sede nova, no morro de São Januário, com 40.000 m2, onde Costa permaneceu trabalhando mesmo depois de aposentado, em 1954, até seu falecimento em 1956.
Costa gostava de orientar os estudantes na carreira de ciência, deixando muitos seguidores. Em 1912 esteve com o astrônomo Arthur Eddington (futuro pai da Astrofísica), na expedição do eclipse de Passa Quatro, e em 1925 com o cientista Albert Einstein, quando de sua visita ao Rio de Janeiro.
Ele também teve oportunidade de participar da observação do mais famoso eclipse total do Sol, em 29 de maio de 1919, na cidade de Sobral, no interior do Ceará, quando astrônomos ingleses (com equipe de brasileiros do ON e de americanos) puderam obter placas fotográficas do Sol eclipsado e das estrelas no fundo do céu, as quais puderam comprovar, pela primeira vez, a Teoria de Relatividade do cientista Albert Einstein.


1996 - Memória gaúcha, por Carlos Adib

http://www.carlosadib.com.br/astron_fatos.html

No dia 2 de abril de 1996 o jornal Zero Hora trazia reportagem na pag. 42 sobre o Eclipse Lunar Total que seria visível, citando que o evento seria observado desde o Planetário Municipal de Porto Alegre por membros da Sociedade Astronômica Rio-Grandense (SARG).

http://3.bp.blogspot.com/_Ktp4WAZ_lO0/SrbhCTaxEGI/AAAAAAAAAJQ/jRO_6Ae1SnA/S1600-R/logoBlog2_AdAstra2009.jpg
SARG - Sociedade Astronômica Rio Grandense


1926 - A epopéia dos asteróides

O primeiro asteróide foi descoberto por um astrônomo que não estava procurando o "planeta perdido" que deveria existir entre as órbitas de Marte e Júpiter. Giuseppe Piazzi estava catalogando estrelas no início da noite de 1 de janeiro de 1801, quando descobriu Ceres, o primeiro e maior asteróide. O detalhe passou despercebido. Os astrônomos procuraram asteróides, ao longo do século 19, usando o método praticamente "artesanal" da busca visual.

Foi assim que, nos primeiros cem anos da apopéia em busca de asteróides, somente menos de 500 foram encontrados. Mas, no início do século 20, a técnica da astrofotografia começou a ser desenvolvida. E centenas de asteróides, cada vez menores ou com albedos cada vez mais antagônicos, passaram a ser descobertos.

No dia 2 de abril de 1926, há 85 anos, o astrônomo alemão Karl Reinmuth (1892-1979) descobriu, a partir de Heidelberg, o asteróide 1926 GC, o de número 2500, que recebeu o nome de Alascattalo.